Uma crítica construtiva às traduções do Ubuntu

A notícia quente da semana foi o lançamento do novo Ubuntu versão 8.04, que eu fiz questão de instalar.

Tudo funcionando bem: reconhecimento de hardware, particionamento, redimensionamento de NTFS e tudo mais. Era de se esperar, funcionava na versão anterior, não havia motivo para deixar de funcionar agora.

Mas com as traduções por alguma razão é diferente. O painel superior do GNOME conta com novos erros de tradução onde estava tudo certo nas versões anteriores. Alguns pequenos erros de tradução passarem é tolerável mas errar no painel principal do GNOME?! É simplesmente o principal programa do Ubuntu!

Em Aplicações->Acessórios temos o item “Consola” (provavelmente vindo do pt-PT), que antes era corretamente chamado “Terminal”.

Em Sistema->Preferências temos o item “Rato” (certamente vindo do pt-PT). A palavra mais usada no pt-BR para “Mouse” é “Mouse” mesmo.

Em Sistema->Administração temos o item “Testando hardware”, provavelmente vindo do inglês “Hardware testing”, que deveria ser traduzido como “Teste de hardware” ou “Testar hardware”.

E porque eu não vou lá e traduzo no Rosetta ao invés de reclamar? O Rosetta não conta com uma ferramenta de busca, que é requisitada desde 2005. Eu não vou achar essas strings na mão no meio de mais de outras 600 para o painel do GNOME.

Fiquei bastante feliz com a notícia que o brasileiro André Gondim é destaque nas traduções do Ubuntu, mas fica a crítica construtiva ao atual sistema de tradução: Não existe um processo de revisão da tradução, principalmente para os programas mais usados? Como é que uma tradução adequada foi perdida?

Anúncios

O bug número 1 do Ubuntu

Eu adoro o humor geek:

O bug número 1 no tracker do Ubuntu

Publicado em GNU/Linux. Tags: , . Leave a Comment »

Gentoo removendo o XMMS

Algumas coisas são dolorosas mas simplesmente tem que ser feitas.

Uma delas é acabar com tudo que use GTK+ 1. GTK+ 1 já era, não é mais mantido desde 2002. Não suporta Unicode, está cheio de bugs e a GTK+ 2 tem uma API muito melhor. Acontece que um famoso software chamado XMMS usa isso. Acontece também que o XMMS tem mais de 30 bugs não-resolvidos e bugs abertos desde 2001! Então faça-me o favor: Você gosta do XMMS? Eu também. Então vamos usar o Beep Media Player ou o Audacious. Ou o Listen, Amarok, Rythmbox, Banshee, Muine, qualquer coisa, temos zilhões de opções.

Então, o cara que mantém o XMMS no Gentoo decidiu largar o posto. Fiquei impressionado em saber que o cara fora do upstream mantinha o pacote e fazia modificações. Meus parabéns ao Luis Medinas. Também veja este outro post interessante sobre este assunto.

Uma solução razoável seria encorajar bastante a instalação de um pacote mais atual quando fosse feita uma instalação de pacotes obsoletos e não mantidos (ou colocar masked, mecanismo do Gentoo para indicar algo que você está fazendo algo por sua conta e risco). O Debian faz isso através de uma seção de pacotes obsoletos. Se bem que lá só tem coisas beeeeem obsoletas mesmo.

Faz tempo que eu não uso um Gentoo…

Abraços
Leandro Lameiro